A controvérsia sobre os sabonetes antibacterianos


Alguns ingredientes que são comuns em alguns sabões e sabonetes antibacterianos perderam a permissão de seu uso nos Estados Unidos, pelo Food And Drug Administration (FDA). 

Foi informado à população que ingredientes como o triclosano e triclorocarbanilida, que há algum tempo já estavam ligados a alterações hormonais e resistência bacteriana, não poderão mais ser utilizados.

O que ocorreu foi que há muito tempo, desde 2013, a agência esperava algum estudo científico que comprovasse a eficácia do uso dessas substâncias no uso diário, comparados com sabão comum e água.

Os fabricantes, no entanto, não demonstraram resultados satisfatórios, o que conclui que o uso de sabão comum e água ainda é a melhor maneira para higienizar as mãos.

A regra, nos Estados Unidos, vale apenas para produtos que precisem de água, ou seja, lenços umedecidos e soluções higienizantes ainda podem conter os ingredientes.

No Brasil, em 2012, uma prova foi realizada pela organização Proteste, que também não evidenciou a eficácia de alguns produtos comercializados em território nacional.

De imediato, para a população geral fica a necessidade de atenção para a composição dos produtos que utilizamos em nós e em nossos filhos, e que o uso de sabonetes comuns, com aromas suaves, liberados pela Anvisa, ainda são a melhor opção para higiene pessoal.

Dr. Thiago Olivetti Artioli CRM-SP 163850

Meu filho engoliu uma moeda!

stream_img-1.jpg

As crianças têm um risco maior do que os adultos de engolir objetos pequenos. Elas engolem moedas, brinquedos pequenos, anéis, ou baterias.

Geralmente quando alguém engole um objeto não há perigo extremo, pois o mesmo pode passar pelo trato digestório sem causar problemas.

Quando há algum problema, os sintomas são:

  • Dificuldade para engolir comida
  • Salivação
  • Dor no pescoço ou peito
  • Tosse, dificuldade para respirar ou respiração ruidosa

Esse sintomas ocorrem mais comumente quando há algum problema com o esôfago, quando o objeto fica preso ali.

Quando uma criança engole um objeto, o correto é procurar ajuda em serviço de saúde.

Após o atendimento pode haver necessidade de realizar um exame de raio-X, pois podem aparecer no exame.

Alguns objetos precisam ser retirados prontamente do corpo, e outros não. Isso depende:

  • Do tipo de objeto, se este pode provocar algum dano ao corpo, como baterias e ímãs, além de objetos pontiagudos, longos, ou feitos de chumbo.
  • Do local em que estão no trato digestório, pois objetos no esôfago precisam ser retirados prontamente.
  • Dos sintomas apresentados pelo paciente.
  • Do tempo em que o objeto está no corpo.

Se o objeto não precisa ser removido o médico pedirá para checar a saída do mesmo na observação das fezes, realização periódica de radiografias e se há sintomas de lesão ao trato digestório, tais como:

  • Febre
  • Náuses e vômitos
  • Dor abdominal
  • Sangue nas fezes

E como retirar o objeto? Para fazer a retirada do esôfago ou estômago, o médico solicitará a realização de uma endoscopia digestiva alta, um procedimento no qual um tube delgado com uma câmera e uma lanterna em seu final é introduzido na boca do paciente. Deste modo o objeto pode ser encontrado e retirado.

A retirada de um objeto no intestino já pode ser mis complicada e necessitar de um procedimento cirúrgico.

De um jeito ou de outro, o importante é evitar que isso ocorra com atenção às ações da criança, e se ocorrer, buscar serviço médico.

Dr. Thiago Olivetti Artioli CRM-SP 163850