Você já comprou um andador?

É muito emocionante ver uma criança dar seus primeiros passos, mas até onde devemos incentivar nossos filhos a realizá-los?

Falar sobre andadores parece desatualizado, pois hoje em dia já perderam a atenção que obtiveram quando estavam na moda, nos anos 90. Mas a verdade é que muitos pais ainda o utilizam e  consideram item básico no cuidado de uma criança.

A verdade nua e crua é que o uso do andador atrasa o desenvolvimento motor do bebê, e ainda muito mais o desenvolvimento mental da criança, e são responsáveis por muitos acidentes domésticos.

Os andadores permitem a mobilidade além da capacidade natural do bebê, levando-os a alcançar objetos perigosos e inúmeras quedas de escadas.

O assunto de maneira alguma é uma brincadeira. O Canadá já baniu os andadores em 2004, com uma multa de 100000 dólares para a posse de um andador até 6 meses de prisão.

Naturalmente, logo após os 6 meses de idade a criança começa a apresentar uma vontade muito grande de se mover pelo chão, esticando os braços, rolando, ou engatinhando e eles ficam muito felizes quando alcançam seu objetivo, como o de pegar um brinquedo, por exemplo.

Os bebês que usam o andador acabam pulando esses passos de desenvolvimento, com seus pés em uma posição estranha, movendo-se antes do tempo programado.

Os maiores atrasos, todavia, são os encontrados no desenvolvimento mental, que permanecem até 10 meses após o uso do andador.

Pense bem antes de adquirir um andador, e tenha em mente os perigos que este item pode oferecer a seu filho. E lembre-se, se você quer que seu bebê se desenvolva da melhor maneira possível a fórmula ainda é oferecer uma boa nutrição, carinho e atenção.

Dr. Thiago Olivetti Artioli CRM-SP 163850